08/01/09

A Sopita da Pedra

Almocei uns fofos de Bacalhau, que me souberam pela vida.
Enquanto nos atirávamos aos fofos, repartia-mos a atenção pelas notícias que desfilavam na TV. Está frio por cá e, por lá. As Pessoas sem abrigo estão a passar mal. Diziam e, mostravam as mesmas notícias. Grupos de Cidadãos em missão voluntária, atarefam-se em esforços, para minorar as carências destas Pessoas, muitas vezes renitentes e reticentes em procurar os abrigos que lhes são oferecidos pelas instituições.
Às tantas já não éramos só nós quem dava atenção à reportagem. Quase toda a gente na sala o fazia. Gerando-se um "bruáá" de comentários piedosos, logo calados porque, a comida nos pratos estava a esfriar. Confesso, que quando ouvi o silêncio das pessoas e o ruido dos talheres nos pratos, senti como que uma culpa na alma e, comentei-o com a minha companheira de refeição, também ela bastante consciente, o drama que a reportagem e o nosso conforto nos mostrava.
Foi então que me deu aquilo a que vulgo se usa chamar "um Vaipe" e, quiçá motivado pelo prazer que estou a sentir por participar Neste Blog, ou então porque já acabou o espírito Natalício... Dei comigo a dizer: "Bora" dar sopa aos pobres! E fomos!

Aqui fica, a minha forma de confeccionar a bela:

Sopa da Pedra

Numa panela (que fui comprar a um bazar Chinês) cozi em água, temperada com Sal, Louro, Cravinho sem cabeça (eu não uso a cabeça) e uma Vagem de Malagueta 200grs de Carne de Porco bem Entremeada, 200grs de Chabão de Vaca, um Chouriço de carne um de Vinho e um Mouro (chouriços claro), 1/2 Orelhita de Porco (para dar um "crunchi" á coisa) e 150grs de Toucinho fumado, 3 Batatas médias, 3 cenouras Tudo cortado aos pedacinhos "inhos"
Após tudo estar bem cozidinho, atirei para junto 2 Latas Completas de Feijão encarnado.
Mais 10 minutos, de cozedura, um Fio de Azeite, uma Folha de Hortelã e, ei-la pronta!

Depois, foi meter dentro de uns sacos, Broa, Azeitonas pretas, 1 "Botelha" do Douro Pingo Doce, 4 tigelas e 4 colheres de sopa, 4 copos de vidro (que comprei no mesmo Bazar Oriental) e partimos ao encontro, de dois Cidadãos Romenos que, de há uns dias a esta parte têm dormido nas arcadas de um prédio em Benfica.

Andava a coisa pelas 20 horas e picos e, estavam 4 Cidadãos, sentados num murete, a partilhar, uma refeição consistente, consciente e com os corações a ferver de prazer de dar na noite fria.

Sei que não posso acabar com as injustiças no mundo. Mas por momentos a Sopinha da Pedra mudou o meu.

O meu muito obrigado à Catarina Menezes, que me acompanhou neste "Vaipe" que me deu.




http://www.youtube.com/watch?v=CXtf3FlIRjM

2 comentários:

Filipinha disse...

Palavras para quê?

Adorei...

Manuel disse...

Que sadismo. Acho que vou almoçar!